Aprender sobre liderança e trabalho em equipe com quem já atravessou o atlântico sul sozinho, enfrentou nove meses isolado no gelo da Antártica e ainda assim tem medo do mar.

Essa é só uma parte da história de grande navegador Amyr Klink, que compartilhou seus aprendizados em ação realizada pela Sonata Leadership Academy e transmitida ao vivo no Nau em dezembro.

 “Eu tinha muito medo do mar e o interessante é que não perdi esse medo, mas aprendi a conviver com ele”, disse Amyr, mostrando que liderar é um exercício diário.

Antes de começar as aventuras sozinho, ele treinou remo em equipe, em que cada barco tem oito remadores. E do remo vem um ensinamento para o trabalho:

“No remo quem ganha não são os mais fortes, nem os mais talentosos. O que ganha é a sincronia, a sinergia e a capacidade de fazer junto da equipe. Os oito remos tem que tocar na água no mesmo milésimo de segundo”, contou.

E para conseguir isso exigia treino diário de todos. Cada vez mais o mundo do trabalho exige essa sinergia. E o treino acontece todos os dias, em cada projeto.

Por fim, ele falou dos momentos de crise, tão atuais nesse ano de pandemia. Amyr relatou que o mar ensina que “é na crise a gente começa a colocar todas as nossas competências para fora”.

Segundo ele, na bonança a pessoa tende a ficar relapsa. E isso se comprovou pois quase perdeu o barco por três vezes quando navegava em mares calmos, por erros bobos, e nunca nas centenas de tempestades que enfrentou. 

X